Entenda um pouco sobre a origem, o desenvolvimento e algumas características da Massagem Tradicional Thai

Jivaka.jpg

Surgida há mais de 2.500 anos, a Massagem Thai é chamada de Nuad Bo Rarn. A palavra Nuad significa “o toque realizado com o propósito de curar”. Bo-Rarn deriva do sânscrito, refere-se a algo antigo e venerado. Muitas vezes Nuad é traduzida como “Massagem”. Todavia, é muito diferente do tipo de manipulação do tecido que geralmente associamos com esta palavra no contexto da prática ocidental. É mais exato pensar na Massagem Thai como uma manipulação da estrutura e da forma física.

A Tradicional Massagem Tailandesa, também conhecida como Massagem Meditativa Thai, Massagem Thai Yoga, ou simplesmente Massagem Thai, tem um enfoque mais energético que físico. Dentre a imensa rede de canais sutis, por onde circula energia vital, existem 10 canais principais para a abordagem terapêutica. O corpo físico é o veículo através do qual se trabalha para restabelecer o fluxo energético e a cura em todos os demais corpos.

Através de pressões profundas ao longo destes canais-meridianos (linhas Sen), alongamentos musculares, manipulações articulares e torções, busca-se liberar os bloqueios e estagnações da energia vital. Dando desta forma, equilíbrio, harmonia e bem estar ao corpo. Incentivando a saúde física, assim como a qualidade de vida como um todo. As várias manobras utilizadas nesta massagem foram concebidas para facilitar e estimular as correntes de energia intrínsecas, liberando os bloqueios que impedem o equilíbrio essencial à manutenção de um indivíduo saudável e livre de dores.

A Massagem Tradicional Thai diferencia-se pelo ritmo cadenciado e harmônico, pelos alongamentos complexos (influenciado pela Yoga), pela grande interação entre quem aplica e quem recebe, em virtude de usar técnicas de compressão e alavancas, mobilizando toda a estrutura do corpo e utilizando-se dos pés, joelhos, cotovelos, antebraços, mãos e dedos, trabalhando a pessoa no chão em diversas posturas corporais. Ao mesmo tempo em que o próprio terapeuta é beneficiado pelo ritmo e posturas que a Massagem Thai exige.

A Massagem Thai tem como objetivo principal despertar o equilíbrio e a harmonia do corpo físico/energético. Funciona como uma meditação profunda, estabilizando o ritmo dos batimentos cardíacos. Diminui a frequência das ondas cerebrais, levando a um profundo relaxamento e revitalização do ser como um todo.

O corpo físico tem memória emocional. Muitas vezes quando tocamos alguém, estamos tocando os pais e a família e toda a influência deles na pessoa. Estas memórias estão enraizadas nos músculos, tendões, olhar, postura, respiração. A intenção da Massagem Thai é, através do toque, dissolver memórias emocionais que possam estar limitando o crescimento da pessoa.

A Massagem Thai possibilita pressionar músculos, mover articulações equilibrando os níveis de energia, aumentando a flexibilidade e uniformizando o efeito em ambos os lados do corpo. O tempo todo durante a massagem há um sentido de fluidez, de cadência e integração. Cada manobra se dissolve na seguinte como numa coreografia.

A Massagem Thai é realizada num tapete, colchonete ou tatame. Isto permite muitos movimentos e procedimentos que não são práticos ou eficientes no trabalho sobre a maca, ou são simplesmente impossíveis. Permite o uso mais eficiente do peso do corpo do terapeuta, ao invés da força muscular, para a transmissão de pressão, o que cria um efeito altamente terapêutico. Quem recebe permanece vestido em trajes confortáveis durante o atendimento. Não são utilizados óleos ou outros lubrificantes para a pele.


Dr. Shivago Komarpaj

Dr. Shivago.png

Para os tailandeses, e todos os praticantes de Massagem Thai ao redor do mundo, Dr. Shivago é reverenciado como o pai da Medicina Tradicional Tailandesa. Todo respeito e carinho a quem trouxe essa jóia ao mundo!

O coração, a origem e o modelo da prática da Terapia Thai é nem mais, nem menos que Jivaka Kumarbacha, Shivago em Thai. Jivaka, ou Shivago, é mencionado nas Escrituras Budistas, aparecendo no cânon Pali, Sânscrito, Tibetano e Chinês. Ele conheceu a Deusa Kuan Yin e a incorporou na egrégora da massagem.

O historiador budista Kenneth Zysk, retoma a história de seus primeiros anos, de acordo com as escrituras pali: Salavati, cortesã de Rajagaha, deu à luz a um filho que foi dado a uma mulher de um escravo, que colocou-o em um cesto, que foi atirado em uma pilha de lixo. Na mesma manhã que o bebê foi abandonado, o Príncipe Abhaya, um filho do Rei Bimbisara, aconteceu de passar pela lixeira em seu caminho para o palácio. Quando o príncipe descobriu que o bebê ainda estava vivo, ele foi movido pela compaixão e ordenou que fosse levado como um filho adotado.

A esta criança foi dada o nome de Jivaka porque ele estava "vivo" (a raiz de "Jiv", viver), e porque um príncipe se preocupou com ele foi chamado de Komarabaccha (alimentado por um príncipe). Jivaka, quando se aproxima da idade quando deve procurar seu próprio sustento, decidiu aprender a profissão de médico. Após ter ouvido falar sobre um famoso médico, em Taxila, ele viajou para esta cidade, famosa por seu nível educacional, para aprender com o eminente médico. Após sete anos de estudo fez um teste que comprovou seus conhecimentos em ervas medicinais, aprovado com extraordinário sucesso no exame, e com a bênção de seu mentor, começou a praticar medicina. Ele foi chamado para tratar a reis e príncipes, incluindo o próprio rei Bimbisara. Mas, de todas as pessoas ilustres que assistiu Shivago, seu maior prazer era assistir ao Buda, três vezes ao dia.

Shivago é uma figura menor nos escritos budistas, mas esta história aparece em várias traduções da tradição páli, sânscrito, chinês e tibetano. Todas as versões concordam que Shivago depois se tornou um budista, um médico de uma ordem monástica, e até mesmo na ocasião teria tratado de Buda.

Ao longo de todo o mundo budista Shivago foi bastante esquecido, mas, na Tailândia foi elevada ao nível de uma divindade. Shivago é considerado pela maioria dos curadores tailandês como a maior fonte de Medicina Tradicional Tailandesa, desenvolvendo as práticas de ervas, massagem tailandesa tradicional (Nuad Bo Rarn), fitoterápicos, banhos e práticas espirituais.

Na tradição tailandesa comumente um curador ora a Shivago pedindo sua ajuda nos trabalhos de ajudar ao outro em recuperar a sua saúde, e os pacientes frequentemente rezam pela sua cura. Também se considera ao praticante desta técnica como um canal da energia de Shivago, pois a conexão destes com o Pai Shivago é constante, devido à fé que têm em guiar suas mãos durante a massagem.

Om Namo Shivago

Comment